Home > Cuidados de A a Z > Herpes > Herpes

21/06/2018


Se seu exame de herpes deu positivo, não se assuste! O vírus do herpes está presente em cerca de 90% da população mundial, mas apenas em torno de 10% a 15% das pessoas desenvolvem os sintomas.1

Os exames laboratoriais mais comumente utilizados para diagnóstico do herpes são as dosagens de imunoglobulinas (Ig ou anticorpos), os quais são produzidos após a infecção pelo vírus. Existem dois tipos de Ig, que se relacionam com a fase da infecção (recente ou antiga).2


A imunoglobulina do tipo IgM é produzida logo após a infecção, e possui uma "vida curta" na corrente sanguínea. Já a IgG é o anticorpo de “memória” presente no sangue de quem já teve a infecção no passado. Muitas vezes é difícil diferenciar os subtipos do herpes 1 e 2 pela similaridade também dos anticospos produzidos. Além disso é comum o laboratório soltar o resultado apenas como sorologia para herpes total (soma as dosagens de IgM e IgG).2

É comum a sorologia para os vírus do herpes tipo 1 e tipo 2 com resultado positivo para IgG, visto o acometimento frequente pelo vírus em alguma fase da vida (mais de 90% da população tem esse exame positivo).2

Já quando o IgM vem positivo e o IgG não reagente, a infecção deve ter ocorrido recentemente. Grande parte das infecções pelos vírus da herpes (tipo1 - herpes oral e tipo 2 - herpes urogenital) é assintomática, porém mesmo não apresentando lesões o portador pode transmitir o vírus para outras pessoas com as quais tenha contato íntimo.2




A infecção pelo herpes tipo 1, em geral, é adquirida na primeira infância através do contato entre a secreção de pessoas com herpes e a boca da criança (como beijo, compartilhamento de copos, talheres e outros objetos), embora apenas se manifeste na vida adulta. Já o vírus do herpes tipo 2 é frequentemente transmitido por via sexual, sendo considerado uma IST (Infecção Sexualmente Transmitida).3



Tabela 1. Diferença principal entre os Alfa-herpesvírus.3




O herpes é contagioso4

Quando surgem as bolhas, o vírus do herpes é considerado ativo, portanto é bom evitar contato direto com as lesões. A forma de contágio do herpes 1 é por meio do contato oral e a do herpes 2, geralmente, é por meio das relações sexuais desprotegidas.
Quando as lesões estão em atividade elas apenas param de transmitir quando se formam as crostas e elas caem espontaneamente. Porém, de 5% a 15% das pessoas podem apresentar herpes em atividade sem lesão (shedding).
Só pessoas que já tiveram varicela (catapora) apresentam a zoster. A transmissão do zoster ocorre apenas com contato oral com as lesões e o curioso é que a pessoa com zoster transmite varicela (catapora) e não zoster. Isso acontece porque as duas são o mesmo vírus, porém uma é a infecção inicial (varicela) e a outra uma reativação (zoster).

Exames para diagnóstico do herpes5

O diagnóstico é feito pela observação do médico e exames como de sangue ou coleta do líquido da bolha para análise ao microscópio.

Como evitar4
Mantenha uma alimentação saudável, evite o excesso de sol, estresse emocional e pratique sempre sexo seguro. Em caso de dúvidas, procure seu médico.




Conteúdo adaptador por: Dra. Melissa Soares Medeiros - CRM/CE - 7038

Infectologista, Mestre e Doutora em Farmacologia pela Universidade Federal do Ceará, Fellow Research em Microbiologia pela Universidade da Virginia/EUA. Infectologista do Hospital São José de Doenças Infecciosas e Hospital São Camilo de Fortaleza. Professora da Faculdade de Medicina Unichristus e Mestrado de Educação em Saúde.

*Este conteúdo não reflete a opinião da Sandoz do Brasil. BR1805831769 – Junho/2018 (conteúdo atualizado em 23/01/2020).

Referências:
1) https://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u41187.shtml
2) https://www.mdsaude.com/2015/03/citomegalovirus-gravidez.html
3) https://drauziovarella.uol.com.br/infectologia/herpes-oral-herpes-genital-e-herpes-zoster/
4) https://www.sbd.org.br/dermatologia/pele/doencas-e-problemas/herpes/68/
5) https://www.minhavida.com.br/saude/temas/herpes-simples