Apresentação

A Ruta Al Mundo, um evento que envolve médicos de todos os países da América Latina, chegou à sua 5a edição entre os dias 27 a 29 de abril de 2017, com o objetivo de compartilhar informações científicas e clínicas, bem como dúvidas e soluções sobre temas essenciais da endocrinologia pediátrica. Esse importante evento foi realizado no Hospital Universitário da Universidade Nacional de Cuyo (Uncuyo, Mendonza – Argentina).

O responsável pela cerimônia de abertura foi o Professor Doutor Pedro Esteves, Decano da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nacional de Cuyo (Mendoza, Argentina), que apresentou a Uncuyo e seus quase 80 anos de história. Ainda, participaram da cerimônia de abertura os integrantes do comitê científico da Ruta Al Mundo: Dr. Ignácio Bergadá, chefe da divisão de Endocrinologia do Hospital Niños Ricardo Gutierrez de Buenos Aires (Argentina); Dr. Raul Calzada, chefe do serviço de Endocrinologia do Instituto Nacional de Pediatria da Cidade do México; e Dr. Manuel Pombo, chefe da unidade de Endocrinologia Pediátrica do Complexo Hospitalar de Santiago de Compostela (Espanha).

Nessa cerimônia também foram homenageados: Dra. Mirta Miras, chefe do serviço de Endocrinologia do Hospital de Niños de la Santísima Trinidad em Córdoba (Argentina); Dra. Marta Barontini, do Centro de Investigaciones Endocrinológicas da Divisão de Endocrinologia do Hospital de Niños; Dr. Ricardo Gutiérrez de Buenos Aires (Argentina); e Jaime Guevara, fundador do Instituto de Endocrinologia, Metabolismo e Reprodução de Quito (Equador).

A conferência inaugural foi ministrada pelo Dr. Fernando Cassorla, Professor Titular da Faculdade de Medicina da Universidade do Chile e membro da Academia Chilena de Medicina. O tema da aula foi De andrógenos a estrógenos: só um átomo de carbono de diferença?. Nessa palestra, o professor falou sobre a influência dos andrógenos e dos estrógenos no desenvolvimento do ser humano, abordando que os andrógenos apresentam papel fundamental na fisiologia da mulher, e os estrógenos, na fisiologia masculina.

Assim, em casos de insuficiência suprarrenal, por exemplo, pode haver concentrações mais baixas de andrógenos na mulher, o que pode causar redução qualidade de vida e libido; nos homens com insensibilidade ao estrógeno ou deficiência da aromatase, também pode ocorrer prolongamento do crescimento até a vida adulta, intolerância aos carboidratos e hiperinsulinemia, aspectos que podem ser corrigidos quando estrógenos são administrados ao paciente com a deficiência enzimática.

Os efeitos dos estrógenos, tanto em homens quanto em mulheres, são cruciais para manter o metabolismo normal de carboidratos e lipídeos. Além disso, são fundamentais para a mineralização óssea durante a vida adulta e para o fechamento epifisário durante a adolescência. Dessa forma, a terapia reposição hormonal deve ser considerada em mulheres com hipoandrogenismo e em homens com hipoestrogenismo, já que ambos hormônios apresentam papéis metabólicos primordiais para ambos os sexos. Por este motivo, deve-se ter cautela para indicação de inibidores de aromatase, buscando retardar a fusão das epífises ósseas e melhorar a altura final dos adolescentes.

Segundo o Dr. Fernando, é importante notar que meninos e meninas, mesmo por volta de cinco anos de idade, já secretam pequenas quantidades de andrógenos e estrógenos, os quais são essenciais para o desenvolvimento das crianças até a vida adulta. Estes e outros temas estão descritos no highlights dos capítulos a seguir.

GENÉTICA MOLECULAR NA PRÁTICA CLÍNICA

MODERADOR: Dra. Suzana Nesi França, Brasil

OBESIDADE E METABOLISMO

MODERADOR: Dr. Raúl Calzada León, México

CRESCIMENTO I: DIAGNÓSTICO

MODERADOR: Dr. Ignacio Bergadá, Argentina

PATOLOGIA ADRENAL E DESENVOLVIMENTO SEXUAL

MODERADOR: Dra. Camila Céspedes, Colombia

CRESCIMENTO II: TRATAMENTO

MODERADOR: Dr. Fernando Cassorla Goluboff, Chile

MISCELÂNEA

MODERADOR: Dr. Manuel Pombo Arias, España