Tudo que você precisa saber sobre o Novembro Azul

Novembro Azul é o nome do movimento internacional que busca a conscientização a respeito do câncer de próstata e da saúde masculina.

O que é Novembro Azul?

Novembro Azul é o nome do movimento internacional que busca a conscientização a respeito do câncer de próstata e da saúde masculina. A campanha, mundialmente conhecida como Movember, visa alertar os homens da importância do diagnóstico precoce para detectar e combater a doença logo no início.1

O que é câncer de próstata?

A próstata é uma pequena glândula do sistema reprodutor masculino. Ela tem o formato e o tamanho de uma noz, localizada na pelve, abaixo da bexiga e na frente do reto, e envolve a uretra, tubo responsável em eliminar a urina da bexiga através do pênis. (Figura 1).

Figura 1: Sistema reprodutor masculino (Fonte: NIH Medical Arts. Male Genitourinary Anatomy [Internet]. Bethesda, US: National Cancer Institute (NCI) [Domínio Público; 2007; acessado em 12 set 2018]. Disponível em: https://visualsonline.cancer.gov/details.cfm?imageid=9422)

A próstata é responsável em produzir parte do sêmen (líquido que transporta o esperma dos testículos através do pênis em uma ejaculação).2

Mudanças da próstata ao longo da vida

A próstata cresce durante toda a vida do homem. Por volta dos 30 a 40 anos, pode atingir um tamanho que comprime a uretra, surgindo alguns sintomas urinários. Outras causas de aumento da próstata, além do envelhecimento, são os tumores e infecções.3 Fique atento aos sintomas abaixo e converse com seu médico caso apresente algum:2

• Aumento na frequência ao urinar
• Urgência para urinar
• Redução do jato urinário
• Sensação de queimação ao urinar
• Levantar várias vezes a noite para urinar

O que é câncer de próstata?

O câncer de próstata ocorre quando as células dessa glândula começam a crescer sem controle. Quando comparado com outros tipos de tumores, as células tumorais da próstata crescem de forma muito lenta, a ponto que as alterações na célula podem ter início até 30 anos antes do tumor chegar a um tamanho que cause sintoma. Eventualmente, as células tumorais podem se espalhar por outras partes do corpo, fenômeno conhecido por metástase. E quando os sintomas finalmente aparecem, o tumor já pode estar em um estágio muito avançado.2

Fatores de risco:

Idade: a partir dos 50 anos, o risco para câncer de próstata aumenta.
Etnia: nos negros, a doença costuma aparecer em mais jovens e crescer mais rápido.
História familiar: homens com história de câncer de próstata em parentes de primeiro grau (pai ou irmãos) têm mais chance de ter a doença.
Hábitos alimentares: homens que se alimentam com dietas ricas em gorduras também têm um risco maior para este câncer.

Quais os sintomas?

O câncer de próstata pode ser assintomático. Os sintomas, quando presentes, são a consequência do aumento do volume da próstata e consequente compressão da uretra (canal que elimina a urina). Dessa forma, os sintomas do câncer são semelhantes aos da HPB. São eles:2

- Vontade urgente e repentina de urinar, especialmente à noite
- Dificuldade para urinar
- Dor ou queimação ao urinar
- Diminuição da força do jato urinário e intermitência do jato
- Dor ao ejacular
- Sangue na urina ou no esperma, ou sangramento espontâneo pela uretra
- Dores na parte baixa das costas (lombalgia), quadril ou pelve (abaixo dos testículos)

O câncer de próstata pode disseminar para linfonodos pélvicos e para os ossos, por isso a dor nas costas ou na pelve pode ser um sinal de doença avançada.4

E os exames?

Para a prevenção apenas dois exames são necessários: exame dígito retal (toque retal) e dosagem sérica de PSA (antígeno prostático específico).5

1. Exame Dígito-Retal (EDR):
É um exame simples, rápido (dura poucos instantes) e seguro (normalmente indolor, podendo causar apenas um leve desconforto). Além da avaliação da próstata, o toque retal permite a identificação de anormalidades do reto, pelve e parte inferior do abdome.

No caso da próstata, pela proximidade que o órgão tem com o reto, esse exame permite a avaliação dos seguintes aspectos (figura 2):

- Tamanho, textura e firmeza da próstata
- Regiões endurecidas, irregulares ou crescimento de tecido além dos limites da glândula.
- Presença de dor ou desconforto ao toque ou pressão.

Figura 2: Exame de toque retal (Fonte: National Cancer Institute)

Como o EDR permite a avaliação de apenas um lado da próstata, exames auxiliares podem ser solicitados para complementar a avaliação.4

Confira o que esperar do toque retal:

Antes do exame:
Não é necessário nenhum tipo de preparo para a sua realização. Geralmente é feito durante o exame médico no próprio consultório. É importante avisar ao profissional da saúde a presença de hemorroidas e/ou fissuras anais, que podem incomodar ou sangrar durante o procedimento.4

Durante o exame:
O médico solicitará ao paciente que retire a roupa e se posicione deitado de lado com os joelhos próximos ao peito, em posição fetal (esse é o posicionamento mais comum). Com uma luva calçada, o médico lubrifica um dos dedos e insere no ânus, solicitando ao paciente que relaxe e respire fundo nesse momento. O exame consiste na palpação da parede do reto para identificar anormalidades dessa região. É esperado sentir um leve desconforto e até sensação de vontade de urinar.4

Após o exame:
O paciente volta às atividades do cotidiano imediatamente após o exame. Mas é importante comunicar sempre ao médico de sintomas que apareçam após a consulta.6


2. Dosagem sérica do Antígeno Prostático Específico (PSA):
Juntamente com o toque retal, a dosagem sérica PSA pode ser solicitada.Trata-se de um exame laboratorial onde uma pequena amostra de sangue é retirada para análise. O PSA é uma proteína produzida pela próstata que se eleva6 na presença de alterações na próstata, uma delas é o câncer. Inicialmente, era usado apenas para acompanhar a evolução dos casos já diagnosticados, mas hoje também é usado para a investigação de casos assintomáticos. Outras doenças responsáveis pelo aumento do PSA: Hiperplasia prostática benigna (aumento do volume da próstata) e a prostatite (inflamação da próstata).6

Biópsia: Se os sintomas e/ou os resultados dos testes sugerirem a presença de câncer, seu médico optará pela biópsia da próstata. É um exame onde algumas amostras de células são retiradas diretamente da próstata de diversas regiões diferentes da glândula. O diagnóstico é feito pela análise dessas amostras ao microscópio, para a identificação de células tumorais. E se a biópsia for positiva? O diagnóstico de câncer é confirmado, e a pontuação do escore de Gleason é determinada. Esse escore varia de 2 a 10 e determina qual a probabilidade do tumor diagnosticado se espalhar. Quanto maior a pontuação maior a agressividade do tumor, com maior chance de metástase. 4

Cenário mundial

Considerando apenas a população masculina, o câncer de próstata é o segundo tipo de neoplasia mais comum no mundo, com 1,3 milhões de novos casos por ano, e o sexto que mais mata com mais de 360 mil óbitos/ano.7 Já no Brasil, é o tipo mais incidente, com 68 mil novos casos estimados em 2018 segundo o INCA, e ocupa o segundo lugar nas causas de morte por câncer entre os homens, com mais de 16 mil mortes estimadas em 2018, o que representa 14% de todas as mortes por câncer em homens.4

1 em cada 9 homens serão diagnosticados com câncer de próstata ao longo de sua vida8

6 casos em 10 são diagnosticados em homens acima de 65 anos8

1 em 41 homens vão morrer de câncer de próstata8

Como tratar?

A escolha do tratamento vai depender de alguns fatores, são eles:
- Estágio da doença
- Escore de Gleason
- Nível de PSA
- Idade
- Estado geral de saúde9

Baseado nesses dados, o médico decide a melhor opção para o paciente. Atualmente, os seguintes tratamentos estão disponíveis:
- Conduta expectante: controles regulares dos resultados dos testes de PSA e de toque retal, associado a biópsia se necessário, para instituir o tratamento apenas se houver progressão ou surgirem sintomas.
- Cirurgia: a prostatectomia é o nome dado a cirurgia de remoção da próstata, que pode ser parcial ou total, incluindo tecidos vizinhos.
- Radioterapia: uso de radiação.
- Crioterapia: mata as células tumorais por meio de congelamento.
- Quimioterapia: drogas que matam ou reduzem as células tumorais. Estão disponíveis em comprimidos ou injeções.
- Terapia biológica: atuam em conjunto com o sistema imunológico do nosso corpo para ajudar a combater o câncer, ou controlar os efeitos colaterais de outras drogas usadas no tratamento do câncer.
- Terapia hormonal: bloqueiam o contato das células tumorais com os hormônios que elas usam para crescer.

Quem são os médicos?

Urologista e oncologista.


Referências bibliográficas:

1. https://minutosaudavel.com.br/novembro-azul/#cancer-de-prostata
2. Bacelar Júnior AJ, Menezes CS, Barbosa CA, Freitas GBS, Silva GG, Vaz JPS, Souza ML, Oliveira TM. Câncer de Próstata: Métodos de diagnóstico, prevenção e tratamento. Brazilian Journal of Surgery and Clinical Research – BJSCR, 2015. Disponível em: https://www.mastereditora.com.br/periodico/20150501_174533.pdf
3. GONÇALVES, I. R.; PADOVANI, C.; POPIM, R. C. Caracterização epidemiológica e demográfica de homens com câncer de próstata. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 13,n. 4, p. 1337-1342, jul./ago. 2008.
4. Guia do Homem
5. Srougi M, et al. Doenças da próstata. Rev Med, São Paulo.2008. Disponível em: HYPERLINK "http://www.revistas.usp.br/revistadc/article/download/59075/62060" www.revistas.usp.br/revistadc/article/download/59075/62060. Acesso em: 19.07.2018
6. National Cancer Institute. Prostate-Specific Antigen (PSA) test [Internet]. Betesda, US: National Institutes of Health (NIH). [revisado em 4 out 2017; acessado em 12 set 2018]. Disponível em: https://www.cancer.gov/types/prostate/psa-fact-sheet#q1
7. Ferlay J et al. Global Cancer Observatory: Cancer Today [Internet]. Lyon, France: International Agency for Research on Cancer [c2018; acessado em 12 set 2018]. Disponível em: https://gco.iarc.fr/today
8. American Cancer Society. Facts & Figures 2018 [Internet]. Atlanta, US: American Cancer Society. [revisado em 4 jan 2018; acessado em 12 set 2018]. Disponível em: https://www.cancer.org/cancer/prostate-cancer/about/key-statistics.html#references
9. National Cancer Institute. Understanding prostate changes. A Health guide for men. [Internet]. Bethesda, US: National Institutes of Health (NIH). [revisado em ago 2011; acessado em 12 set 2018]. Disponível em: https://www.cancer.gov/types/prostate/understanding-prostate-changes/prostate-booklet.pdf

*Este conteúdo não reflete a opinião da Sandoz do Brasil – BR1811919901 – Novembro/2018

Home > Cuidados de A a Z > Saúde Masculina > Tudo que você precisa saber sobre o Novembro Azul

21/11/2018