Doença de Parkinson

13/03/2018

A doença de Parkinson é um distúrbio degenerativo que atinge o sistema nervoso central. Causada principalmente pela diminuição da produção de dopamina, ela é uma condição crônica e progressiva.

Causas¹

Com o envelhecimento, muito frequentemente as pessoas apresentam morte progressiva de células nervosas que produzem dopamina. Porém, algumas pessoas perdem estas células muito mais rapidamente, ocasionando os sintomas da doença de Parkinson. Ainda não se sabe quais são as razões que levam a essa perda acelerada e progressiva de células nervosas.


Principais sintomas¹

Os principais sintomas da doença de Parkinson são a lentidão motora (bradicinesia), a rigidez entre as articulações do punho, cotovelo, ombro, coxa e tornozelo, os tremores de repouso notadamente nos membros superiores e geralmente predominantes em um lado do corpo quando comparado com o outro e, finalmente, o desequilíbrio. Estes são os chamados “sintomas motores” da doença, mas podem ocorrer também “sintomas não-motores” como diminuição do olfato, alterações intestinais e do sono.


Diagnóstico¹

O diagnóstico da doença de Parkinson é essencialmente clínico e o profissional indicado para diagnosticar e tratar é o médico neurologista.


Tratamento¹

A doença de Parkinson não tem cura, mas é tratável. Geralmente, seus sinais e sintomas respondem bem às medicações. Esses medicamentos repõem a dopamina que está deficiente e melhoram os sintomas da doença e, por isso, devem ser usados pela vida toda. Além disso, é fundamental que o paciente pratique atividades físicas e tenha um acompanhamento multidisciplinar para uma vida independente e com qualidade.


Prevenção¹

Não há como prevenir a doença de Parkinson, mas é possível identificar indivíduos com alto risco como, por exemplo, pessoas assintomáticas com genes patogênicos.


Incidência no Brasil¹

Números não oficiais apontam para pelo menos 250 mil indivíduos no país. Por isto, seja no Brasil ou em qualquer país do mundo, trata-se da segunda doença neurodegenerativa mais comum.



Prof. Dr. Rodrigo Rizek Schultz - CRM-SP 80.201
Coordenador do Ambulatório de Demência Grave do Setor de Neurologia
do Comportamento da Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP
Diretor Científico da Associação Brasileira de Alzheimer - Abraz Nacional
Professor de Neurologia da Disciplina de Clínica Médica da Universidade de Santo Amaro – UNISA


*Este conteúdo não reflete a opinião da Sandoz do Brasil Fevereiro/2018 - BR1803786167

Fontes - Acesso em fevereiro de 2018: 1. https://www.einstein.br/doencas-sintomas/parkinson