Diabetes

01/06/2017


O que é diabetes?

O termo diabetes mellitus (DM) se refere a um grupo de doenças que cursa com aumento dos níveis de glicose no sangue. Glicose é um açúcar essencial à vida, pois serve de combustível para todas as células do corpo. Uma hipoglicemia (nível de glicose muito baixo no sangue) pode levar à morte ou deixar sequelas. Por outro lado, níveis persistentemente elevados de glicose no sangue (diabetes) causam lesões nos tecidos, especialmente nos olhos, rins e nervos periféricos.

O que é insulina?

Insulina é um hormônio produzido no pâncreas, por um tipo especial de células chamado Células ß (beta). A principal ação da insulina é facilitar o transporte da glicose do sangue para as células. Quando falta insulina, ou quando ela não funciona direito, o indivíduo desenvolve diabetes.

Quantos tipos de diabetes existem?

Há dois principais tipos de diabetes: o tipo 1 e o tipo 2. O tipo 1 acomete principalmente crianças e adolescentes (mas também pode se iniciar na vida adulta), e se caracteriza por uma destruição das células ß e diabetes de instalação rápida. Os pacientes que tem esse tipo de diabetes necessitam de insulina desde o diagnóstico, pois os níveis do hormônio já estão baixos desde o início. Já o tipo 2 acomete principalmente adultos (mas pode se iniciar na infância) e se relaciona com obesidade e sedentarismo. No DM tipo 2, a insulina continua a ser produzida, mas não funciona direito. Logo, o tratamento se baseia em melhorar a ação da insulina, por meio de perda de peso, promoção de atividade física e uso de medicamentos por via oral que têm essa finalidade. Em certos casos há necessidade de uso de medicamentos por via oral para aumentar a produção de insulina pelo corpo ou mesmo do uso de injeções de insulina.

Diabetes é um problema comum?

Sim, e com o aumento da prevalência de obesidade na população, espera-se que os números aumentem ainda mais. De acordo com dados da IDF – International Diabetes Federation, no Mundo existem 387 milhões de diabéticos (8,3% da população mundial), sendo que metade da população com diabetes não sabe que tem a doença. Só em 2014, o diabetes causou 4,9 milhões de mortes. Em outras palavras, a cada 7 segundos uma pessoa morreu em consequência do diabetes. (Fonte: IDF Diabetes Atlas, 6th Ed., 2014)

Quais são os sintomas do diabetes?

O diabetes pode ser uma doença assintomática ou causar sintomas graves, como o coma. Em seus estágios iniciais, o paciente pode não sentir absolutamente nada, mas o dano causado pela glicose elevada está ocorrendo. Conforme a glicemia sobe, o paciente manifesta poliúria (aumento da quantidade de urina), polidipsia (aumento da sede), polifagia (aumento da fome), cansaço, visão turva e perda de peso. Se o diabetes não for tratado, esses sintomas vão se intensificando e o paciente vai ficando cada vez mais fraco, até que pode entrar em coma.

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico do diabetes é simples, feito com a medida da glicemia. Embora a medida da glicose na ponta do dedo possa sugerir que o paciente tem diabetes, o diagnóstico final deve ser feito a partir do exame de sangue tradicional.

O tratamento do diabetes tipo 1 consiste na administração de insulina. Existem hoje em dia diversos tipos de insulina, que diferem entre si conforme o tempo de ação: insulinas de ação lenta e insulinas de ação rápida. O tratamento padrão do diabetes tipo 1 é feito com a administração de uma insulina de ação lenta associada a uma insulina de ação rápida.

O diabetes tipo 2 é tratado inicialmente com mudança do estilo de vida (prática de atividade física, dieta para perder peso, interrupção do tabagismo) e com administração de medicamentos por via oral (antidiabéticos orais) ou injetáveis diferentes de insulina. Alguns pacientes não conseguem atingir o controle com essas medidas e precisam ser tratados com insulina.

Referências

1.IDF Diabetes Atlas: International Diabetes Federation; 2014.
2. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes 2014.

*Conteúdo produzido por: Dr. Daniel Freire – CRM: 97368-SP
*Este conteúdo não reflete necessariamente a opinião da Sandoz do Brasil
BR1704628501 – Abril /2017